O que é ERP?

Muitas vezes chegamos em um projeto e temos que integrar com o ERP, receber dados de catálogo de produto do ERP, mandar pedidos para o ERP e fazer tudo quanto é comunicação com o tal do ERP! Mas, na prática o que é ERP? 

ERP é uma sigla oriunda do nome Enterprise Resource Planning que, traduzido ao pé da letra, significa “Planejamento dos recursos da empresa”. ERPs são que softwares que integram todos os dados e processos de uma organização em um único sistema.

Esses ERP’s são grandes sistemas compostos por vários módulos que tem por finalidade suportar a gestão e controlar áreas da empresas, tais como contabilidade, financeiro, fiscal, recursos humanos, logística etc., e mais do que isso como os dados estão na mesma base de dados isso dá condição ao ERP de ter os módulos integrados e de fato manter a empresa toda interligada de forma sistêmica. 

Uma grande vantagem de ter um ERP é justamente a possibilidade de diminuir softwares satélites na Operacao tecnológica. Também há ERP’s específicos para determinadas indústrias/ramos como varejo, moda, escolas, manufaturas farmacêuticas etc. 

Espero que esse artigo tenha agregado valor e conhecimento.  

Abs e até a próxima. 

Geração de onda

Bom pessoal, agora vamos falar de um assunto que muitos passam batido, porém com algum conhecimento do assunto a vida dentro da operação no CD ficará muito melhor.

No começo de toda operação pequena, as ondas são feitas basicamente na ordem de chegada dos pedidos, ou seja, quase que FIFO, mas, conforme a operação cresce, ou em caso de operações que já nascem grandes, é muito importante ter claro a estratégia de geração de ondas para separação.

Você deve se lembrar que quando há Envio das entregas do pedido para a operação CD algumas variáveis são enviadas dentro desse pedido, e a estratégia da separação de produtos começa justamente nesse ponto.

Um dos principais critérios de separação da onda é a transportadora, pois, dessa forma você ganha eficiência para colocar a maior quantidade de pedidos separados em uma doca de um única vez e já faz o envio das entregas para os clientes.

Outro critério muito utilizado é por categoria dos produtos (eletrônicos, eletrodomésticos, instrumentos musicais), pois há forma específica de tratar algumas categoria.

Outra é fazendo a separação por PAR (Produto de Alto Risco), nesse caso todos os produtos dessa área são separados para serem faturados (smartphones, tablets, jóias etc.).

Outra modalidade que vi bastante é gerar onda por pedido mono item (quando há apenas um item na entrega) e multi item (quando há mais de um item na entrega), isso faz sentido quando você pensa na consolidação dos pedidos antes do faturamento.

O tempo limite de entrega também é muito importante para ser considerado, pois, aqui você antecipa as entregas dos clientes que podem estar próximas de sofrer algum atraso.

Agora, há casos nos quais você poder flags especiais para a onda, como por exemplo “Reclame Aqui, “Consumidor.gov”, “Prioridade” etc., de acordo com sua necessidade, mas o que eu mais vi foram essas mesmas. E sempre de acordo com  que faz sentido para a operação.

Por cubagem (dimensões e tamanho do produto), geralmente o pessoal chama de “Leve” e “Pesado”.

Ainda temos mais alguns critérios, e no final do dia acabamos mesclando esses critérios, tudo bem busca da melhor performance da operação para o melhor atendimento do cliente.

Espero que você tenha gostado. Deixe seu comentário!

Abs e até a próxima!

Formação do time – apresentação

Aqui quero falar de uma coisa que é o que acontece em todos os projetos, a formação do time. Mas, antes de entrar em mais detalhes gostaria de falar do Modelo de Tuckman (que minha coach Roberta Ribas me ensinou).

Olhe para a figura abaixo:

Modelo_de_Tuckman

Vou colocar exatamente o que está no Wikipedia sobre o assunto, leia:

 

  1. Forming (Formação): Identificação das metas. Caracterizada por um grande entusiasmo e baixos níveis de competências. Nesta etapa ocorre a formação do grupo, são as condições necessárias para que um indivíduo se integre ao grupo: compartilhar metas, tarefas e abordagens no trabalho, se identificar com os outros indivíduos e se sentir parte do grupo. Segundo Tuckman (1965) [2], durante a formação o papel do líder é importante para estabelecimento de relações de dependência com o líder, com o grupo e com normas preexistentes; pode-se dizer que a orientação, ensaios e dependências constituem o processo de formação do grupo.
  2. Storming (Confrontação): Definição das responsabilidades de cada membro. Caracterizada por baixo entusiasmo e níveis de competências. Nesta etapa pouco trabalho é realizado, já que as metas estão definidas, porém os papéis e responsabilidades de cada membro do grupo ainda não, surgindo assim vários conflitos até estas definições.
  3. Norming (Normatização): Definição do processo de trabalho. Caracterizada por aumento de entusiasmo e níveis de competências, aqui o grupo começa a ganhar sua identidade. Aqui existem menos conflitos, já que os membros se conhecem melhor e respeitam suas habilidades. A atuação do líder é essencial para a definição do processo de trabalho e formas de realizar as tarefas. Os processos devem ser adequados aos papéis, anteriormente definidos de acordo com as habilidades de cada um e das metas que originaram o grupo.
  4. Performing (Atuação): Alta produtividade, execução e melhoria do processo. Caracterizada por entusiasmo e níveis de competências altos. Os membros do grupo já entraram em acordo com as metas, processos, papéis, responsabilidades e estilo de trabalho. A necessidade de supervisão é pequena, porque o grupo já consegue produzir e reagir às mudanças por conta própria. A geração de acordos é fruto da confiança, resultando em membros altamente motivados para o trabalho aliado a uma produtividade alta, e juntamente com a cooperação. As regras do grupo estão mais flexíveis e funcionais, a identidade está muito bem definida, há sentimento de orgulho em pertencer ao grupo e lealdade entre os membros.
  5. Adjourning (Dissolução): Fim do processo. Caracterizada pela finalização do processo, seja pela conclusão da tarefa ou desistência do grupo. Este estágio é marcado pelo reconhecimento do grupo com as tarefas e separação dos indivíduos.

Agora vou destacar o que a primeira etapa, a formação do time. Nesse momento muitos líderes não sabem como apresentar as pessoas, como deixá-las a vontade. Uma boa forma de fazer isso é utilizando uma apresentação com todas as pessoas do time, onde cada uma faz uma pequena apresentação sobre si, e se apresenta para os outros. No meu caso eu sempre faço com uma apresentação, e é claro que isso não é obrigatório, porém eu sugiro a todos os líderes que façam isso, e vou além, a minha apresentação tem 4 etapas:

  1. Quem você é: Nome, apelido, telefone, redes sociais;
  2. Conteúdo: Capacidades, conhecimentos, experiências;
  3. Objetivo: Metas para o projeto, qualidades a serem adquiridas;
  4. Hobbies: Basicamente fora do trabalho.

Após esse tipo de reunião geralmente fica mais fácil de mapear pontos como:

  1. O que o time precisa estudar;
  2. Quais tem menor conhecimento;
  3. Quais são mais experientes;
  4. Até mesmo os que têm maior e menor influência no time.

Eu costumo chamar essa dinâmica de “marketing of skills”, eu ouvi esse termo alguns anos atrás em algum vídeo de algum evangelista de ágil (sorry, não lembro o nome e nem o vídeo). E sempre que o time muda isso é necessário na minha visão.

Abaixo tem o modelo de uma apresentação que fiz com meu time atual, espera que seja uma boa referência e que você possa fazer esse alinhamento de formação do time mais rápido.

Abs e até a próxima!

Referências

https://pt.wikipedia.org/wiki/Modelo_de_Tuckman